Estamos há dias preparando e projetando este novo canal para nos comunicar com nossos seguidores, clientes, amigos e com muita gente que ainda vai passar por aqui pra buscar, dividir e trocar informações de muito conteúdo.

SE É PARA ABRIR UM NOVO ESPAÇO QUE SEJA EM GRANDE ESTILO!!

A Rainha do Baile Blake Lively chegando ao MET GALA 2018 (Imagem: Divulgação)

Mas foi ela, sim, Blake Lively e sua personalidade cheia de estilo que inspiram nosso primeiro post junto com uma generosa pitada de história da moda e EVENTO de verdade.

O Met Gala já é conhecido por temas escolhidos a dedo por uma curadoria supercompetente, e é bom ficar atento porque nenhuma escolha no universo da moda é em vão.

Este ano o tema foi Heavenly Bodies: Fashion & The Catholic Imagination em bom português, “ Corpos Celestiais: Moda e Imaginação Católica” resgatando o impacto da igreja na cultura e nos comportamentos da cultura ocidental, com suas belezas, espiritualidade e também atrocidades sócio culturais e humanas, lembrando que a moda muito mais que influenciar tem também o papel social de alerta para a reflexão sobre nossos comportamentos de massa e seus impactos sociais, leia-se o período de incertezas e tensão global que vivemos que tem como principal pano de fundo questões religiosas.


Agora vamos falar do look que realmente merece todos os louros como sucesso principal de styling da noite e mais uma vez Blake Lively soube carregar uma peça complexa com personalidade e encantamento. Ouso dizer ainda que a bela hipnotizou o mundo mas principalmente americandos e brasileiros, no twitter e no instagram os brasileiros ficaram em segundo lugar nos elogios a moça.

Look completo no detalhe (Imagem: Divulgação)

Vestindo um VERSCE na cor carmesin (um vermelho quase bordô, utilizado com exclusividade pelo alto clero durante séculos) com um corpete de modelagem incrivelmente perfeita e cravejado de cristais, uma verdadeira jóia em formato de peça de vestuário e uma cauda que fez com que a atriz tivesse que ser transportada em um ônibus para não danificara

Make suave e cabelo bagunçado com leve ondulado deram contemporaneidade sem tirar os elementos culturais que dão referência ao período de inspiração da produção. (Imagem: Divulgação)

Claro que como todo styling, a produção teve seu toque de mestre com o acessório de cabeça que remetia a uma aureola sacra, destaque em obras de arte e telas referentes ao período da idade média para identificar os seres celestiais, no caso da reprodução no look de Blake, a peça foi confeccionada toda em ouro e diamamantes. Ostentação? Sim, mas vale a reflexão dos contrastes que também foram característicos do período de referência da festa. Blake e Versace, obrigada por nos proporcionar esta reflexão e inspiração “divina” e nos fazer lembrar que sim, ainda são a primazia, a dedicação e muito conhecimento os ingredientes que fazem a moda ser Moda de verdade.

Compartilhar

Compartilhar

Fechar Menu
×
×

Carrinho